Os Inimigos dos Deuses (Lei, Jogo 1, 1ª Parte)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os Inimigos dos Deuses (Lei, Jogo 1, 1ª Parte)

Mensagem por Imperador Renon em Sab 04 Fev 2012, 23:32

Renon
*Havia paz. Uma paz que poderia ser dita como algo "sustentavel". Os inimigos haviam desaparecido, sido capturados ou mortos em combate. Os Adeptos Astartes agora respondiam diretamente a Inquisição, e esta havia se tornado algo diferente do que se mostrara inicialmente. Se antes era uma instituição sombria, opressiva, agora havia se tornado um exemplo de como uma organização poderia ervir de espinha dorsal para todo o império. Auxliavam, sem dominar ou controlar totalmente, quase todos os aspectos dentro do império: Suas tropas estavam unidas as tropas imperiais, lutando lado a lado, compartilhando recursos. Seus clérigos auxiliavam os necessitados e iam em pessoa a missões de conversão pra aqueles que queriam abandonar a fé nos "deuses" e seguir a "Luz Sagrada", símbolo principal da Igreja ali. Embora o panteão Terâniano ainda fosse de vários deuses, apoiados pelo Imperador e com um Sumo-Sacerdote cuidando do chamado "Culto Imperial", a Inquisição não mais pregava o banimento destas divindades. Seus três líderes ainda eram enigmáticos, mas não mais temidos. Com as fronteiras seguras e o império em paz, a vida dos soldados, principalmente na Capital e na Cidade Imperial, era apenas uma rotina CHATA de regimentos... restando poucas emoções para combatentes. Joshua havia sido eleito o líder das tropas na fronteira, e Lei novamente estava a frente das tropas na Cidade Imperial. Renon pouco aparecia em público, tornando-se maus uma figura política do que um líder militar. Naquele dia em especial ele estava realizando a inspeção mensal do Forte Imperial, e era tarefa de Lei manter o lugar em ordem...*

Lei
*E o lugar de fato estava em ordem, mais ordem do que aquele exército jamais havia visto, considerando que a ação além da fronteira da Cidade Imperial havia praticamente acabado, possibilitando à Lei dedicar-se exclusivamente à organização das forças militares dentro da cidade. Estava feliz que havia voltado ao comando das tropas da cidade. Valorizava cada vez mais estes períodos tranquilos, embora soubesse, em seu íntimo, que momentos de paz são sempre intercalados com momentos de guerra. Lei estava lá no forte, sua farda impecavelmente arrumada e seus soldados dispostos de forma perfeita, o forte funcionando exatamente como deveria, pelo menos até o alcance de seus olhos.*

Renon
*Logo Renon e uma comitiva de oficiais do estado maior surgiriam por ali. O imperador cumprimentava a todos com sutis gestos de cabeça. Vestia-se com roupas nobres, nada de armadura. Os oficiais com ele faziam o mesmo... exceto um deles. Katherine Raven. A Inquisitora-Mor. Ela media os soldados da cabeça aos pés. Logo a comitiva parou em frente a Lei Keylosh, tendo o Imperador bem a sua frente e Katherine a sua esquerda, e foi o Imperador quem falou primeiro.* Impressionante, Keylosh. Mesmo aqueles que se opuseram a seu retorno a liderança do Forte devem estar admirados com a organização do lugar e das tropas. Meus sinceros parabéns. *As palavras pareciam sinceras... do mesmo jeito que a expressão de sarcasmo de Raven também parecia. Um olhar de lado, tipicamente dado quando se demonstra desdem.* Senhores, poderiam continuar a inspeção sem mim e a Srta Raven? Nós temos assuntos a tratar com o Major Keylosh...

Raven
*Os oficiais se entreolhariam e logo atenderiam o pedido. Raven falaria neste momento, com um tom seco.* Major, dispense seus homens e mande-os para fora da sala. *Parecia mais uma ordem do que um pedido...*

Lei
Obrigado, Imperador. *Lei agradeceria o elogio de Renon e então faria um afirmativo com a cabeça para Raven, em seguida dando a ordem e fazendo com que todos os soldados ao redor, independente da patente, deixassem a sala do forte onde agora apenas permaneciam Lei, Raven e Renon e quem mais ele desejasse que ficasse ali. Em seguida, o barbudo olharia o Imperador e a Inquisitora alternadamente.* Pronto, agora temos privacidade.

Raven
*Raven tomaria a frente da conversa agora, falando diretamente para Lei. Falava de modo firme, mas não agressivo.* Setenta e duas horas atrás, um esquadrão de operações táticas imperial foi dado como desaparecido durante uma operação secreta. *Renon afastou-se um pouco, abrindo espaço para ela explicar o que deveria.* O operação se dava em território hostil, e não podia ser vinculada de forma alguma com o Império Terâniano, portanto foi conduzida por um contingente especial de soldados, talvez já tenha ouvido rumores sobre eles. Sombras Imperiais. *Ela o encarava agora, caminhando até uma mesa qualquer.*

Lei
*Lei cruzou os braços, prestando atenção nela.* Não, eu nunca ouvi falar de Sombras Imperiais. Estou supondo que se vc iniciou este assunto, significa que está na hora de eu saber o que é. *Voltou a ficar em silêncio. Já conhecia Renon e seus projetos e planos paralelos e descobrir mais um do qual Lei não tinha ideia não era nenhuma surpresa. Portanto, ele deixou que Raven continuasse.*

Raven
Isso prova o quanto são eficiêntes. *Falou Raven. Renon nada falava, apenas ouvindo.* Continuando, o esquadrão de Sombras fez sua ultima comunicação neste ponto. *Raven abriria um mapa do "mundo conhecido" por eles até ali. Muitas áreas estavam cobertas por forte tinta preta, outras áreas estavam no lugar onde claramente não deviam estar, como uma enorme área marcada como "Abismo" cobrindo grande parte do reino de Terânia. Mas ela apontou para uma pequena area na fronteira norte do Imperio... dentro de Deskrausser.* Três artefatos foram roubados da Cidade da Luz Sagrada, e sede da Inquisição. A Espada de Sangue, que está sendo rastreada também dentro de Deskrausser, A Palavra de Deus, um livro ancestral que contem coisas que não devem ser relevadas sob o risco do fim daquilo que conhecemos e que está sendo recuperada dentro de En Sabah Nur... e, de longe o item mais importante, que o grupo perdido estava procurando quando desapareceu, algo que é conhecido como "Metal Anti-Deus", um grande bloco de metal que... recuperamos... *Hesitou um pouco ao falar.* Após derrotar alguns inimigos do estado terâniano.

Lei
*Lei falava com Raven enquanto observava atentamente o mapa.* O desaparecimento do esquadrão e o roubo dos artefatos se deram ao mesmo tempo? O que um fato tem a ver com o outro?

Raven
*Ela franziu o cenho, erguendo uma sobrancelha quando ele falou.* É. Exatamente isso. Os artefatos foram roubados enquanto nossos esquadrões conduziam missões sigilosas de infiltração naqueles territórios. Conseguimos redirecionar as tropas para interceptarem os ladrões dentro de seus próprio territórios. O desaparecimento do grupo responsável pela recaptura do metal anti-deus é algo perturbador. Eram os melhores que temos.

Renon
*Renon, agora, interromperia Raven, caminhando até próximo do mapa.* Lei, vou tornar as coisas mais claras. *Suspirou e começou a falar.* Suspeitamos que Deskrausser e Apocalipse estejam se preparando para uma invocação, um ritual, que seria capaz de trazer a vida novamente a forma física de Apocalipse. Retirando as amarras que impedem a manifestação física de deuses na terra. Criar um "avatar" de Apocalipse que seria a própria reincarnação dele. "Como sabemos se isso funciona?", você deve querer perguntar. E eu direi... Nós fizemos o ritual... em uma escala... menor... e ele funcionou. Agora nós precisamos que alguém se infiltre em Deskrausser e descubra o que aconteceu e recupere ao menos este "metal anti-deus". Precisamos de alguém em que eu possa depositar confiança suficiente para fazer esta missão de modo sigiloso e que possa levar consigo a arma mais poderosa do Império para ajuda-lo. Poucos se encaixam no perfil, na verdade apenas você. Preciso que você se infiltre em Deskrausser e me ajude nesta tarefa.

Raven
*Raven apenas escutava desta vez...*

Lei
*Lei parou por um momento, pensativo, e então dirigiu-se até a janela da sala, olhando o movimento da cidade lá fora.* Por que não fazer uma invasão em massa à Deskrausser? O renascimento de Apocalipse coloca todos em risco, tenho certeza que todo o exército arriscaria sua vida para cumprir esta missão.

Renon
Porque eles não roubaram os artefatos... Eles apenas os pegaram de volta. *Renon falou, quase em um desabafo.* Nós os roubamos. E, talvez se não fosse pelo nosso experimento, seria plausível dizer que eles jamais teriam descoberto que a possibilidade de encarnar o poder de um deus em um "portador" criado para isso fosse real. Não podemos começar uma cruzada pela qual nós mesmo somos os "vilões".

Raven
*Raven falou denovo, apoiando-se na mesa.* O Imperador quer dizer que não podemos arriscar ter exposto ao mundo que o Império, com seus rigidos valores e moral ilibada, cometeram atos indignos. A liderança seria contestada pela Aliança Imperial. Os demais líderes das nações que compoem o império teriam um prato cheio em mãos para fazer ruir o Império. Há política demais em torno disso.

Lei
E então vcs preferem salvar a imagem de Terânia frente ao Império do que impedir o retorno de Apocalipse para salvar o mundo. *Suspirou.* Eu nunca vou entender política. Mas entendo de obrigações, e se o Imperador me passou uma missão, ela deve ser cumprida a qualquer custo. Que tipo de suporte terei? Ou não terei nenhum? *Fitou Renon.*

Raven
Neste momento... sim. Não podemos manchar o símbolo do Império, no caso nosso Imperador, e envolve-lo em ações deste tipo. A Inquisição poderia iniciar essa cruzada sozinha, sem o 'aval' do imperador... Mas isso também seria um sinal de fraqueza interna. E não queremos isso agora. *Raven caminhou até a parede oposta ao local de onde eles estavam, ficando de costas.*

Renon
*Renon continuou falando dali.* Sim, a missão é clara: Recuperar o metal roubado e descobrir o que aconteceu com o grupo de Sombras Imperiais perdido. Você terá suporte... Como eu disse, nós tivemos exito em canalizar uma porção divina, do deus da ordem Khalmyr, e criar algo que é uma representação física daquele Deus.

Raven
*Raven virou-se na direção dos dois neste momento, erguendo a mão espalmada.* Imperador, acredito que não é o melhor local para este tipo de detalhes. *Falaria com Lei agora.* Prepara apenas o básico, Lei Keylosh. Ainda hoje iremos para Amitabha, a sede da Inquisição, e lá você poderá ver a nova arma do Império, que estará a sua disposição...

Lei
Muito bem, então terminaremos os detalhes lá. *Dito isso, Lei não perderia tempo. Já providenciaria suprimentos básicos de viagem. Nunca havia sido designado para uma missão de infiltração. Seus métodos não eram nada furtivos, tendo em vista que gostava de explodir coisas e encarar os inimigos de frente, mas ele se adaptaria a qualquer situação, se necessário. Partiria com Raven e Renon assim que eles estivessem prontos.*

(Continua...)
avatar
Imperador Renon
Admin
Admin

Mensagens : 394
Data de inscrição : 22/06/2010
Idade : 37
Localização : Nova Terânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum