Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Seg 16 Set 2013, 14:24

Relato de Jason Lee Keylosh para o Espírito Fundador da Sociedade Negra, Lysergik:

Mestre! Demos o primeiro passo para o ressurgimento da Sociedade Negra e o fim do Império! A Morte em pessoa visitou-me, clamando pelo retorno de um passado recente onde a reverenciávamos todos os dias. Todos os dias derramávamos o sangue de inocentes para homenagear a Morte e agora nosso esforço foi recompensado!

Ela nos mostrou o caminho até um artefato poderoso deixado pelo Justiceiro Sagrado Vlad Kain. A Morte deu pistas de que Vlad Kain morreu, mas eu não contaria com isto, Lysergik. De qualquer maneira, fomos até o Plano Elemental do Gelo, onde alcançamos uma tribo de Klonks. Descobrimos que o artefato residia em uma caverna onde havia uma criatura poderosa que sempre amedrontou qualquer um daqueles macacos das neves.

Eu e Camilly Bella, antiga integrante da Sociedade Negra, adentramos a caverna e derrotamos a criatura. Em troca disto, os Klonks seguirão nossas ordens. Temos um exército de homens das neves, e logo teremos muito mais, Lysergik! Tudo em teu nome! Glória à Sociedade Negra!








Narrador:

Jason não precisaria se preocupar com uma eventual explicação para quem quer que fosse, uma vez que o casebre parecia completamente abandonado. Ainda por sorte, ele era completamente mobilhado, contendo cadeiras, sofas, camas e uma lareira. O local com certeza ja havia tido eras melhores devido ao excesso de teias e aranha e poeira, mas nada que fosse extremamente incomodo, uma vez que com toda certeza isso era bem melhor do que tentar a sorte sendo perseguido por imperiais ou soldados. E até mesmo aquele aspecto de "abandonado" poderia auxiliar em deixa-los livres das atenções das autoridades...

(Exterior)




(Interior)






Antes que Jason percebesse, a noite já havia caído. Camilly permanecia inconsciente, e seu eventual ponto de observação não era a coisa mais emocionante do mundo (imagem da esquerda) em uma janela onde ele mal podia ver sequer seu cavalo, sendo que a cada bocejo um novo esforço para ele não ser o próximo a cair desacordado era necessário.



Talvez fosse o sono, mas a situação parecia mudar em segundos. Jason perdia alguns instantes olhando o fogo quando parecia que o vento soprava mais forte do lado de fora. Devia ser apenas coisa da sua cabeça, claro. Entretanto a situação mudava quando a temperatura do lugar parecia cair em um instante para um frio pior que o da noite la fora, seguido do próprio fogo da lareira desaparecendo. Camilly acordava, próximo a ele em um salto, movida por apenas a sensação de ter despertado de um pesadelo, e parecia que este continuava já que se sentia como se tivesse subitamente mergulhando em água congelada.



Até mesmo o vidro da janela parecia adotar uma fina camada de gelo. A respiração de ambos deixava um rastro de ar quente, talvez o único ali a aquela temperatura. Os olhares entre ambos deixava claro que ninguém sabia o que estava acontecendo. Nesse instante entretanto, uma voz podia ser ouvida...

- “Jason Keylosh...”

O som abafado da voz, que mais parecia um susurro parecia vir do lado de fora, já que por alguma razão Jason já tinha os olhos na janela a alguns metros a ouvir aquilo. Algo que após alguns instantes, ambos podiam deduzir é que não se tratava de “ouvirem coisas”, especialmente porque o que quer que fosse aquilo, tinha sido ouvido dentro de suas mentes...


Última edição por Admin em Sab 04 Jan 2014, 03:11, editado 3 vez(es)

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 20 Set 2013, 13:08

Jason:

Jason respirou aliviado ao perceber que o casebre estava abandonado. Deixaria Camilly deitada sobre o sofá e iria conferir todos os cômodos antes de voltar para a sala e permanecer observando o lado de fora através da pequena janela. A princípio achou que o frio estava vindo com a noite. Olhou para a lareira e imaginou uma maneira de acendê-la. Procurou por lenha ao redor, mas, mesmo se houvesse, seria muito velha e seca para manter o fogo. Acabou tentando usar uma pequena magia para inflamar a lareira.



Independente se a magia desse certo ou não, veria Camilly despertando. Neste momento já estava abraçando a si mesmo e tremendo de frio. Aproximou-se da moça, dizendo:



- Por Daimonius, você finalmente acordou! Faça algo, está congelando aqui dentro! Pensando bem, eu sei de algo que poderíamos fazer para nos esquent...



Jason parou de falar assim que ouviu a voz sussurrada. Sua espinha congelaria mesmo se estivesse muito calor. Ele disse para Camilly então, visivelmente com medo:



- É isto! Vamos embora deste lugar, agora! Não fico nem mais um segundo aqui!

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 20 Set 2013, 13:08

Camilly:

*Camilly acordava lentamente, estava tonta e fraca e ainda com dor. Ela se sentava aos poucos e olhava Jason, colocava a mão na parte de trás da cabeça que sentia dolorida. Ela olhava Jason e dava um sorriso fraco e forçado até ouvir aquela voz tenebrosa e o ouvia seu parceiro "macho beta" ficar com medo e dava risada. *

-Fugir é o cacete! Eu tô cansada e com frio, e eu vou ficar aqui até amanhã de manhã. E se tem alguém aqui que tá achando que eu tô com o mínimo de paciência pra lutar, eu prefiro negociar!

*Camilly então ajeitava o vestido ao redor de si e cruxava os braços, quase como uma menininha mimada.*

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 20 Set 2013, 13:41

Narrador:


(Vista da janela como referência)



-  Esse sempre parece ser seu erro Jason Keylosh: Desistir fácil demais.


A lareira que naquele instante se encontrava completamente apagada, parecia acender com uma intensidade absurda. Esquentaria todo aquele comodo em instantes, sendo que as chamas pareciam extremamente altas de uma maneira sobrenatural. O calor começava até mesmo ser incomodo, logo estariam literalmente transpirando, mas não oferecia risco maior, ao menos não naquele instante.

Mas como nem tudo eram mas noticias, isso servia para que o vidro, o frio e tudo mais desaparecesse. Talvez até parecesse que era a mente deles pregando peças em uma Camilly ainda um tanto cansada e em um Jason paranoico? Mas logo a porta se abria com violência, ninguém entretanto adentrava por ela a não ser o vento que fazia um assovio um tanto incomodo, ao mesmo tempo que agitava as chamas da lareira. Do ângulo que estavam, ninguém podia ser visto.



-  Não queremos que os remanescentes da ”Sociedade” morram de frio. Quando estiverem prontos, gostaria de sua atenção por alguns minutos...



Apesar do tom ainda parecer de uma pessoa quase sem voz que esta prestes a começar a tossir, com um tom um tanto desrespeitoso, ao menos dessa vez a voz não ecoava em suas mentes, e claramente parecia vir de alguns metros a frente da cabana. O vento permanecia a soprar de maneira lenta, mas presente e forte “balançando” a iluminação do fogo e fazendo com que até as sombras parecessem um tanto incomodas, apesar que ambos podiam ver um ao outro com clareza.



Do lado de fora, a única “pista” da presença era uma luz quase que imperceptível, provavelmente quem fosse carregava uma fonte de iluminação...



Última edição por Admin em Sex 20 Set 2013, 13:42, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 20 Set 2013, 13:42

Jason:

- Você está louca?? Se quer ficar aqui, então ficará sozinha! Eu não ficarei para ser atacado por o que quer que esteja lá f...

Jason se interrompeu ao ouvir a segunda frase da voz misteriosa. Maior do que seu medo era seu orgulho, ao que ele respondeu à voz sem saber a quem pertencia:

- Desistir?! Nunca! Apareça onde estiver, maldito!

Toda esta coragem desapareceu quando a porta se abriu sozinha e a voz falou pela terceira vez. Jason correu para trás do sofá e, observando a porta aberta e a luz lá fora, ele disse à Camilly:

- Remanescentes da Sociedade? Ele sabe sobre nós, Camilly. Rápido, vá lá fora e investigue! Eu ficarei aqui caso... Haja mais atacantes tentando invadir a casa...

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sab 21 Set 2013, 22:56

Camilly:

*Camilly via a lareira retomar o fogo mais forte do que antes e olhava Jason e sussurrava*
- Que merda é essa?

*Ao ouvir a porta se abrir ela levava um susto e dava um passo para trás em direção do companheiro "valente" e dizia*

-Vai que é pra voc...
*Ao ouvir a conotação de "ex-membros" ela avançava um pouco e dizia*

-Quem é você? O que você quer conosco?
*Embora mantivesse os olhos fixos na porta, Camilly mal podia enxergar quem ou o que ali estava. Por um segundo pensava em avançar, mas imaginava que seria uma má ideia. Estava ferida e cansada, se fosse entrar em combate com aquilo, ela provavelmente não sairia viva. *

-Não me obrigue a perguntar de novo. Quem é você?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Ter 24 Set 2013, 13:57

Narrador:

-  Nomes...Para pessoas que nos últimos tempos apenas omitem os seus, vocês se prendem muito em nomes...



A situação parecia o mais próxima de “normal” naquele instante. O vento parava de soprar daquela maneira sobrenatural e a lareira parecia tranquilizar. A voz era até mesma ouvida com mais clareza, vinda do lado de fora seguida do som de passos leves sobre o solo montanhoso. Ainda parecia a voz de um velho tuberculoso, mas era o mais “normal” que a situação ficava até aquele momento.



-  Honestamente, se um dia tive um nome eu o esqueci. Eu não preciso de um nome, as pessoas me veem e me reconhecem, é algo bem simples. Eu explicaria melhor mas como disse, preciso falar com vocês então...



A porta se fechou com violência, e apagou mais uma vez a lareira os deixando praticamente no escuro, a perda súbita de luz dificultava ainda mais a visibilidade (se alguém enxerga no escuro por alguma razão, dispensem o detalhe da escuridão. Logo a voz voltaria a se pronunciar.



-  Se não pretendem sair, eu vou entrar.



Em um golpe violento que deixava a porta entreaberta, uma grande lamina atravessava a madeira da porta. Além do som alto que mais uma vez pregava uma reação de surpresa misturada com susto. Jason em especial ao ver a lâmina tinha uma razão a mais para se preocupar. A Arma não era apenas uma foice, ela era uma foice conhecida. A foice de seu pai, muitas perguntas poderiam estar na cabeça de ambos, ali aguardando quem entraria pela porta.



-  Peço que me perdoem, minha entrada pode ter sido um tanto exagerada.



Ao invés de aparecer pela porta, a figura aparecia ATRAS deles, como se já estivesse na cabana no lado oposto a entrada, a menos de 5 metros. Ela estava em pé, usava um pesado manto com capuz negro que dificultava sua identificação. Carregava uma lanterna que era sua “fonte de luz” e logo fazia uma referência formal a ambos, mas em especial falava com Jason.



-  É uma honra Jason Keylosh...Nosso encontro já devia ter ocorrido a muito tempo, mas andei um tanto...Ocupado


A voz, apesar de ainda soar um tanto incomoda não parecia zombar dele, passando realmente a impressão que estava satisfeito por finalmente encontra-lo. A figura (se não fosse detida) logo passaria por eles em busca da sua “arma” cravada na porta parecendo aguardar eventuais novas perguntas.  Em um segundo olhar de Jason, a foice em nada parecia com a de seu pai, talvez fosse mais um truque para confundir a sua mente?

O ser pararia olhando para eles. Apesar de não admitirem ou negassem, a melhor descrição da criatura... É que ela era a Morte.


_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qua 25 Set 2013, 13:26

Jason:

Jason permaneceu atrás do sofá, deixando que Camilly ficasse mais à frente. Ao ver a lâmina daquela foice familiar, Jason quase teve um ataque e apontou para a porta, gritando:

- É ele! Meu pai está aqui! Ele nos encontrou!! Não! Eu não voltarei para aquela prisão maldita!!

Em seguida, quando ouviu a voz da figura atrás de si, Jason deu um pulo para trás, tropeçando sobre o sofá e rolando para o outro lado, caindo perto de Camilly. Ele não faria nada para impedir a figura de pegar sua foice de volta e assim que notou que não era seu pai, ele voltou a ficar atrás de Camilly e disse:

- Bem, estou supondo que se quisesse nos atacar já o teria feito. E que também não está com a guarda de Terânia. Então... o que você quer?? - Perguntou, claramente usando Camilly como escudo.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qui 26 Set 2013, 08:58

Camilly:

*Camilly olhava Jason com um certo ar de "seu bundão" e apenas dizia*

-Vai você! É você que quer saber o que esta lá fora...

*Camilly via Jason correr e revirava os olhos. Por incrível que pareça, ele era o mais velho dos dois, e o mais covarde. Camilly voltava o olhar para a porta e via a mesma abrir-se novamente e respirava fundo.*

-Okay... Você sabe quem somos, mas não sabemos quem você é. Isso me parece um pouco injusto...

*Ao perceber aquela presença atrás de si, Camilly disfarçava o susto com um giro nos próprios calcanhares e observava a tal coisa/criatura e retribuía o cumprimento do mesmo com um aceno de cabeça e então olhava Jason e dizia com um ar de ironia notável.*

-Oh! Mal nos mudamos e já temos visitas? Que agradável querido! Por que não me apresenta o seu amigo...
Ou seria novo amigo?

*E Camilly então se colocava entre Jason e a coisa/criatura e gesticulava para Keylosh sem emitir um único som: "Quem ou o que é ele?"*

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qui 26 Set 2013, 09:15

O "ceifador" ria daquela forma um tanto macabra enquanto andava em reação aos tropeços de Jason e sua reação ao pensar se tratar de seu pai. Balançava negativamente a sua "cabeça", ou o que deveria estar por debaixo daquele capa. Uma vez com sua arma, virou-se e apontou para Jason confirmando com a cabeça, favorecendo aquelas observações. Eles podiam  perceber que ao menos daquela distancia, dentro daquele capuz aonde deveria existir um rosto não parecia haver nada.



- Perspicaz jovem Keylosh, acho que agora podemos conversar e esclarecer suas dúvidas...




A cada vez que trocavam olhares, a figura parecia levemente diferente. Detalhes em seu manto, mãos e poucas partes visíveis mudavam consideravelmente, até mesmo a foice em uma questão de instantes parecia em pior ou melhor estado. Até piscar causava esse efeito, que certamente não era apenas mais uma impressão. Na mais recente, haviam até asas de esqueleto e as mãos mais cadavéricas. O rosto entretanto, parecia sempre mergulhado em trevas. Ela parecia rir antes de cada pergunta feita, daquela mesma forma distorcida.





- Como falei anteriormente, não tenho um nome. Eu sou apenas um fiel servidor de algo maior Jason Keylosh. Eu sigo a Morte. Ela me guia, me da um objetivo e um caminho e meios. De forma que nada pode se colocar em meu caminho. Me chamam de ceifador negro, ser das trevas, a morte...Mas eu apenas sigo seu caminho.


Era algo que parecia o discurso padrão de um clérigo do Deus da Morte. Pensando-se um pouco a respeito isso poderia explicar boa parte dos "poderes" que ele havia demonstrado e sua "aparência". Parando-se para pensar calmamente, até mesmo o que ele havia feito até agora não era muito impressionante: Um pouco de vento, ascender uma lareira, desaparecer em aparecer, tudo isso podia ser feito por alguem com habilidades razoáveis. Apenas o cenário e a aparência do mesmo pareciam contribuir com a sensação de temor. Ele logo prosseguiu:



- E quando disse sobre "desistir fácil”, me referia a sociedade e a caçada pela cabeça de seu pai  A morte sempre o observou de perto, você e sua "Sociedade" eram a nossos olhos verdadeiros senhores da morte, sempre a venerando por onde passavam mesmo que não propositalmente. Entretanto, um a um seus "companheiros" lhe abandonaram e você foi derrotado e capturado pelo seu pai...E agora, estão fugindo de meia duzia de guardas? Medo de vozes das trevas, medo de uma arma, o auto aclamado líder da sociedade Negra e uma de suas mais leais seguidoras, senão a única? As mesmas pessoas que ja deixaram vilas inteiras reduzidas apenas ao cheiro de sangue, escondidos atrás de um sofá gritando "Eu não quero ir para aquela cadeia de novo" ou "Estou cansada e com frio?” Isso parece uma "desistência" ao meu ver...



A figura “olhava” para Camilly, como se esperasse ela concordar, ou talvez ainda se referisse a “desistência” da mesma com relação a ter praticamente mudado sua vida nos últimos tempos e ter deixando seu passado para tras, difícil ter certeza. Ele entretanto completava:



- Mas isso nos leva ao ponto final: O que eu quero. Antes que eu comece a explicar entretanto, existe um detalhe que precisa ser esclarecido. A boa educação diz que sempre que visitamos alguém, devemos trazer um presente...



O encapuzado parecia colocar uma das "mãos" dentro do vazio de seu manto e puxar uma pequena caixa de madeira, a estendendo em direção ao filho de Lei. Mas pareceu achar que o mesmo não gostaria (ou arriscaria) chegar tão perto, de forma que colocou o objeto sob uma mesa de centro a frente de Jason e fez uma nova reverência exagerada, afastando-se alguns passos.



- Mas Camilly Bella... Devo expressar minha surpresa e satisfação em vê-la aqui, sempre foi uma das minhas favoritas da antiga sociedade. É difícil alguém ter o seu... "talento" para a morte. Poderia preencher minha curiosidade e dizer o que busca? Quero dizer...Isso se você realmente tem um objetivo, e espero que não seja viver uma farsa em meio a um vilarejo fingindo ser algo que não é...

Ele perguntava literalmente "escorado" em sua foice, parecendo travar um diálogo enquanto esperava o que Jason faria, em um tom de certa forma até ousado.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qui 26 Set 2013, 09:31

Jason:

Frente à pergunta silenciosa de Camilly, Jason apenas ergueria os ombros com as palmas das mãos para cima, fazendo uma expressão de "não faço a mínima ideia de quem seja". Só depois voltou a prestar atenção na figura misteriosa.

Enquanto ele explicava, Jason colocava as mãos na cintura, olhando para baixo. Sua primeira vontade foi de xingar aquele ser misterioso, literalmente xingar a Morte, por descrever como ele e Camilly haviam chegado em situação tão deplorável se comparado à época da Sociedade Negra. Mas deteve-se rapidamente, pois o rapaz sabia que era tudo verdade. Enquanto a Morte falava, as lembranças lhe invadiam a mente e ele se recordava de como os membros da Sociedade foram lentamente subjugados pelas forças justiceiras da época ou simplesmente abandonaram o grupo.

O rapaz fez uma cara intrigada quando a Morte citou o presente. Observou a caixa sendo colocada na pequena mesa e permaneceu ali, olhando para o objeto, pensativo e coçando o queixo. Ficaria em silêncio e não faria nada até que Camilly respondesse à Morte, para perguntar a ela em seguida:

- Então, o que acha? Devo abrir isto ou não?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Seg 30 Set 2013, 09:57

Camilly:

*Camilly olhava a caixa e então se aproximava da mesma e se colocava de joelhos na frente da mesma e a analisava com um certo cuidado. Aproximava a mão lentamente da mesma, mas por um segundo exitava e então voltava o seu olhar para a Morte e dizia*

- Que tipo de presente é esse?

*E Camilly se colocava em pé novamente, ainda com o olhar fixo na caixa. Por um segundo ela pensava no conteúdo da caixa: poderia ser uma caixa de Pandora, poderia não ter nada, poderia ter tudo ou poderia ser tudo junto. Ela respirava fundo e antes que a Morte respondesse ela dizia.*

-Ele aceita o presente, mas esse ainda não é o momento de abri-lo.

*E Camilly então olhava para Jason e dizia baixo.*

-Confie em mim...

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Ter 01 Out 2013, 15:09

Narrador:

O encapuzado pareceu respirar longamente, talvez o único sinal que estivesse de fato “vivo”, já que Camilly parecia ter ignorado a pergunta dele. Estavam apenas perdendo tempo para ele, havia uma longa jornada pela frente e talvez tivesse subestimado as “suspeitas” que sua chegada poderia despertar. Bem, levaria um pouco mais de tempo no final das contas. Permaneceu apoiado na foice, com um tom que parecia até mesmo entediado respondendo:



- Na verdade é algo mais direcionado ao jovem Keylosh. Algo que ele acreditou que havia “perdido”, talvez não achasse possível recuperar. Se trata de mostrar para vocês que podem conviar em mim. Devo lembrar que como Jason disse, “se fosse causar-lhes mal já teria feito”. Temos objetivos similares, de forma que o que esta ai dentro é mais eficiente que muitas explicações.



O ser apontava em direção a caixa, e talvez propositalmente ou não o manto escorregava revelando a sua mão. Ao menos daquela vez, era uma mão feminina, que chamava a atenção pelo fato de ao contrario do resto da aparência e em conflito com a voz ser extremamente bem cuidada, até mesmo as unhas bem feitas e um tanto longas, pintadas em um vermelho escarlate.



- No final das contas, eu esperava encontrar Jason aqui. Mas você foi uma agradável surpresa Camilly, de forma que me perdoe se me repito mas não ouvi sua resposta. Nos acompanharia caso tenhamos uma nova jornada? Voltaria ao seu passado glorioso ou prefere fingir ser uma simples curandeira? O que acha de mais uma vez sentir o sangue em suas mãos quente, ao invés de seco em ferimentos que trata?



E permanecia da mesma forma, precisava de respostas para dar respostas.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Ter 01 Out 2013, 15:10

Jason:

Jason ouviu o conselho de Camilly e chegou a acatá-lo, cruzando os braços e não mostrando nenhum sinal de que ia abrir a caixa. Mas o que a Morte disse em seguida acabou convencendo-o. Ele descruzou os braços e ergueu os ombros, fazendo uma careta e dizendo:

- PFF!! Para os diabos! Vou abrir isto, Camilly! Qual o pior que pode acontecer?! Já não temos mais nada! Você não voltará para aquela vila, pois é cúmplice de um fugitivo do Império! E eu não tenho mais minha Sociedade e estou fugindo pateticamente de meu pai! Ele está cert...

Jason se interrompeu ao ver a mão feminina saindo daquele manto. Ele ficou em dúvida se aquilo o confundiu ou o deixou com mais medo. Continuou em seguida:

- Ehr... Ela... Esta coisa está certa! Nosso lugar é espalhando o caos e destruição, colocando medo nos corações das pessoas, pois somos superiores a elas!

Abriu a caixa em seguida e uma parte dele ainda estava com muito medo do que encontraria dentro.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Ter 01 Out 2013, 22:50

Camilly:

*Camilly ouvia a pergunta da Morte e dizia.*

-O meu lugar é aonde eu achar que é melhor, e no momento eu me juntarei a vocês... Eu na verdade estou a procura de um artefato, de algo que possa me ajudar a cumprir uma promessa que fiz a alguns anos... *a voz se tornava falha e baixa e ela dizia*... E como está sendo difícil...

*E por alguns minutos ela ficava ali, absorta em um pensamento que só ela conseguia compreender. Como estava sendo difícil, pelos deuses! Quando se dava conta, Jason já estava mexendo na caixa e ela revirava os olhos e dizia*

-Vai em frente, quando perder a mão não me peça para cura-la...

*E ela resolvia dar um passo para trás por precaução, por que com sua atual sorte, até abrir a janela poderia ser a causa de um homicídio.*

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 04 Out 2013, 09:53

Narrador:

A figura ria de forma baixa e contida com a resposta de Camilly, parecendo ter apreciado ela de alguma forma.



- Uma Camilly com metas e objetivos...Curioso. Você sempre pareceu não ter preocupações, apenas querendo sentir o cheiro de sangue nos campos enquanto se divertia, e a Morte realmente apreciava a sua "pureza" enquanto desfrutava do que chamamos de "semear o caos". Jason tem sua "vingança", seu objetivo. A sua falta de objetivos entretanto a tornava mais...Perigosa, imprevisível. Talvez seja por isso que virou uma curandeira em uma vila, porque se seguisse o seu rumo original...



Ao invés de completar, a figura levava a mão feminina até o capuz, revelando para ela sua face. Camilly naquele instante podia ver o "rosto" do ceifador. Era exatamente...As feições da própria Camilly ali parada, sorrindo. Jason estava ocupado vendo a caixa, mas Camilly podia ver aquele sorriso petulante e malicioso que a lembrava de um passado não muito distante.



- A morte tem vários rostos Camilly, assim como vários a representam por onde passam.



Até mesmo a voz era idêntica a dela. Mais uma vez em um piscar de olhos a figura voltava a ser como antes, envolta pelo seu capuz e com o tom mórbido. O que significava aquilo ?Ele queria dizer que ela era a morte? Ria baixo e voltava-se mais uma vez para Jason, que terminava de abrir a caixa.



- "Esta coisa" fica feliz em ser útil...Agora você falou como o líder da Sociedade Negra, jamais deixamos de acreditar em você Jason Keylosh...



Em meio aquela tom rouco e distorcido, era quase possível perceber um "sorriso na voz", parecia de fato satisfeito (ou satisfeita?) com a decisão de Jason, e até fez mais uma leve reverencia ao mesmo enquanto este abria a caixa. Na caixa, uma nova surpresa era revelada: Havia um objeto envolvido em uma espécie de pedra roxa, como se estivesse "cristalizado" prendendo algo. Um olhar com mais atenção revelava ser um conhecido amuleto com uma caveira, era um dos mortos vivos que seu pai um dia havia comandado, ali nas mãos dele.



- Imagino que isso lhe seja familiar, tive que arrancar de um Justiceiro Sagrado a força, um "amigo" recente pelo que soube. Este é outro ponto que me decepcionou: Jason Keylosh aliado a um Justiceiro Sagrado. Por favor me poupe de explicações como "foi necessário". Tenho certeza que seu pai deve ter ficado orgulhoso Jason...



O tom era bem desagradável, realmente soando como uma critica. Ele em um estalar de dedos "liberou" o medalhão que ficava "flutuando" alguns milímetros da mão de Jason a sua completa disposição. Mais uma vez ele deu alguns passos aproximando-se da porta afastado deles, a mesma ja estava reconstruída, sem o buraco do golpe de foice quando o ceifador voltava a olhar para eles:



- Mas chega de tomar seu tempo: Eu vim lhes oferecer algo, uma coisa que sempre buscaram. Com isso vão ter o suficiente para conquistar tudo aquilo que sempre desejaram. Chega de caçadas, chega de fugas, chega de prisões. Se me seguirem, ambos vão ter aquilo que precisam para conquistar cada uma de suas metas. E vão ser necessário mais do que guardas, e talvez até mais do que seu Pai e todas as forças imperiais para detê-los.



Algo que podiam perceber agora com mais clareza: Mesmo com aquele clima tenso, confuso e de certo medo que a morte causava, a figura era realmente convincente em tudo que falava. Era um bom orador, firme e extremamente lógico. Não parecia querer manipular o par de remanescentes da sociedade negra, de forma que ao falar de "suas metas", Jason realmente acreditava que talvez finalmente estivesse diante do "Ás na manga" que precisaria para superar seu pai, enquanto para Camilly "aquilo que precisa" era bem claro. Restava saber se o que seria oferecido se enquadrava nos planos dela. A figura encapuzada concluía de maneira breve:



- Poder. Eu lhes ofereço poder.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 04 Out 2013, 09:54

Jason:

Assim que o objeto parou de flutuar, Jason segurou o amuleto cristalizado à frente do rosto, analisando-o com uma expressão de surpresa. Ele se lembrava da ocasião, quando havia se aliado à Vlad Kain para derrotar Gotthard. A então Imperial Malak Nawar também estava presente. Era incrível que aquilo havia acontecido há pouco mais de dois anos. Jason fez uma cara insatisfeita com o comentário da Morte e replicou:

- Eu não me aliei a ele, eu o usei para derrotar Gotthard! Mas se você possui isto, quer dizer que... Você matou Vlad?!

Após a possível resposta, Jason cruzou os braços, ouvindo à criatura, segurando o amuleto cristalizado. Pela sua expressão era possível dizer que o rapaz já imaginava possuir tanto poder. Depois da última frase, Jason fitou Camilly rapidamente e depois a Morte de volta, dizendo:

- Se há uma coisa que eu aprendi, é que tudo tem um preço e todo mundo quer algo de volta. Qual é o seu preço pelo poder que oferece?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 04 Out 2013, 09:55

Camilly:

*Camilly ouvia aquele discurso de como ela era boa arrancando cabeças e etc. De uma certa forma ela sentia aquele carinho no ego, mas tinha que tomar cuidado, afinal, quando a esmola é demais até o santo desconfia. Ao ver que a Morte retirara o capuz e era ela mesma, ela dava um passo para trás, respirando fundo e entrando num breve frenesi ao admirar a si mesma. Podia até sentir o cheiro de morte novamente, se lembrava de como gostava de arrasar vilarejos, destruir casas, empalar pessoas e queimar clérigos.
Que passado glorioso!
Que falta que sentia daquilo tudo...
Nesse meio tempo, Jason já havia aberto a caixa e ela dava uma espiada no conteúdo e ouvia o comentário de que Jason havia se aliado a um JS e ela revirava os olhos pensando: "Jason fazendo besteiras desde sempre...".
Ela ouvia a proposta do Ceifador e ela sorria um sorriso de satisfação, de orgulho, e de desejo.
Ela bem sabia como o poder era algo magnífico, e como senti falta dele!*

-Eu entendo a sua postura, realmente não temos nada a perder, mas... O que você quer em troca disso tudo? Ou você está sendo generosa apenas por ver os resultados?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Seg 07 Out 2013, 09:09

Narrador:

- Não iremos procurar aliados, eles vão vir até nós! Ansiosos por seguir seu comando mesmo que os mande rumo ao abraço caloroso da morte! Vocês serão aqueles que os outros temem escondidos em cabanas no meio da noite quando escutam barulhos no meio da floresta, a Sociedade Negra representará mais uma vez aquilo que foi criada para ser!



Talvez o ser percebesse que a hipótese de poder havia surtido efeito sob uma Camilly que parecer querer mais uma vez voltar as suas origens mas nem tanto sobre Jason. Obviamente que o orgulho do jovem superava muita coisa, inclusive o fato que alguem que detivesse tamanho poder não precisaria se esconder atrás do Sofa. Pareceu olhar diretamente a foice mediante a pergunta sobre Vlad, e a mesma tinha marcas ressecadas de sangue.



- E não é o que a morte deveria fazer? Você parece surpreso...



Falou com um tom de naturalidade, gesticulando com a mão que não segurava a foice erguendo a palma desta para cima, agora totalmente esquelética e até mesmo com um aspecto antigo e descuidado. Era uma resposta vaga, como todas as anteriores. Então Ambos fizeram a mesma pergunta, de maneira diferentes mas com o mesmo significado



- O que quero em troca...Finalmente!



A morte em um movimento rapido pareceu ajustar a foice em sua mão habilmente, como se ela fosse um mero brinquedo de forma que a mesma pareceu refletir a luz do luar. Ela "apontou" a foice para entre os dois e parou por um instante...Como se refletisse por um segundo. Apos alguns instantes entretanto, a arma era virada na direção de Jason,e o ceifador caminhava em direção deste de maneira firme e determinada. Estava ela simplesmente indo cobrar o que queria? Seria a alma do jovem Keylosh? Entretanto no ponto que este considerasse que precisaria lutar por sua vida, (ou fugir) a figura abaixou-se a altura dos joelhos, com um destes tocando o chão e com o olhar voltado na mesma direção, em um sinal de respeito.



- Quero que aceite meu auxílio, não como seu superior mas como um daqueles que seguira seu comando enquanto você vai reerguer a sociedade. Eu não vim impor nada e nem pedir que me obedeçam. Pelo contrário, quero que me aceite como seu aliado. Como disse, vocês de uma forma ou de outra sempre foram considerados emissários da morte.



Aquilo talvez fosse mais surpreendente que todo resto. A figura não pedia nada, a não ser que Jason aceitasse o auxilio dele reerguer o que um dia havia sido a Sociedade Negra, querendo literalmente seguir seu comando e não o contrário. Enquanto Jason ainda refletia sobre a veracidade daquelas palavras, a figura mais uma vez revelou a mesma mão, agora mais uma vez feminina e com as unhas escarlates extremamente bem feitas.



- Talvez fosse mais adequado para a situação se eu retirasse o capuz?



Pergunta dificíl de responder, a curiosidade de Jason parecia se misturar com certo temor do que poderia presenciar.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Seg 07 Out 2013, 09:24

Jason:

Assim que percebeu a Morte vindo em sua direção, Jason ficou inquieto. Seu nervosismo apenas aumentou com a proximidade, e quando teve a impressão de que o Ceifador o levaria, ele agarrou Camilly e a colocou a frente da criatura:

- Leve-a! Eu lhe ofereço a alma dela! Não leve a minh...

Após ouvir o que a figura disse e notando sua posição, Jason pigarreou violentamente, tentando retomar uma postura digna, se é que isso fosse possível. Largou Camilly e ajeitou a própria roupa negra, dizendo:

- Bem... neste caso... Aceito seu auxílio. E sim, você pode retirar seu capuz.

Permaneceu em silêncio, tentando esconder o fato de que havia se comportado como uma menininha há apenas segundos atrás.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qua 09 Out 2013, 19:10

Camilly:

*Camilly olhava para Jason e revirava os olhos e dizia*

-Pelos deuses! Jason tenha um pouco de compostura!

*Camilly então dava um passo para o lado e respirava fundo, olhava para Jason e respondia logo depois dele*

-Caso se sinta confortável, fique a vontade... Por mim não faz diferença.

*Ela então se virava olhava pela janela e então dizia*
-Crianças, se não se importam, podemos sair daqui? Os guardas não vão demorar para chegar e talvez isso não seja tão agradável para nós, certo?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qua 09 Out 2013, 19:11

Narrador:

Se o mais novo aliado de Jason havia percebido a mais nova "cena" dele, pareceu não demonstrar qualquer reação. Ajoelhou-se da mesma forma e ficou em silêncio enquanto o mesmo parecia aceitar sua oferta. Aguardou enquanto o mesmo disse para retirar seu capuz, concordando por baixo do manto.

- Pela glória da sociedade negra Jason Keylosh...

O capuz caia e até mesmo parte da "capa" e o que poderia ser visto (ao menos daquela vez) era uma cabelereira negra como a noite e longa, obviamente feminina usando algum tipo de vestido branco que não cobria os ombros. O rosto era de uma mulher jovem, o que talvez para Jason chamasse mais atenção, apesar que Camilly ja havia visto a si mesma como o ceifador, isso poderia não ser la muito impressionante. A jovem parecia ainda com um sorriso discreto no rosto com a "aceitação" de Keylosh.

(imagem de referência)



Levantou-se ainda segurando sua arma e o manto a altura dos ombros, olhou o cenário da noite e pareceu pensar por um instante ou dois. Talvez aguardasse por uma eventual "ordem" de Jason, um comentário, uma pergunta ou algo assim quem sabe ainda que ele e Camilly resolvessem o seu mais recente "debate". Apesar que para eles o certo seria "seguir a morte" literalmente. Não era mais ela que estava no comando: Era Jason, mais uma vez a frente da Sociedade Negra. Entretanto, com a colocação de Camilly a "jovem ceifadora" sorriu indicando com a palma da mão a porta, não indicando a saída em si, mas um portal que estava praticamente ocupando a passagem.

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 11 Out 2013, 11:58

Jason:

Assim que percebeu a figura feminina por dentro da capa negra, Jason ajeitou a gola da roupa, sorrindo:

- Ora, vejam só... Se eu soubesse que era assim por baixo deste manto, eu não teria ficado com tanto medo. Você disse que seguirá qualquer comando meu, certo?

Jason deu uma risada maliciosa mas voltou ao normal um segundo depois, com medo de ser repreendido por Camilly. Ele concordou com a companheira:

- Camilly está certa. Precisamos sair daqui, longe dos soldados teranianos, para planejar com calma e reagrupar. A Sociedade Negra irá retornar! Glória à Sociedade Negra! - Disse, repetindo o que a ceifadora havia dito. Viu o portal aberto e apontou para o mesmo, dizendo:

- Vamos! - Correu e pulou no portal. Entraria antes de Camilly, a menos que ela tomasse a iniciativa.


Camilly:

*Camilly olhava Jason e respirava fundo, deixando ele ir na frente. Não sabia ao certo aonde aquele portal iria dar, mas seguia, afinal de contas já estava naquela história até o pescoço e voltar atrás não era uma opção.
Por um segundo ela se perguntava o porque de tudo aquilo, e oras, isso era óbvio da parte de Jason: vingança.
Para ela o motivo era diferente, precisava vê-las novamente, mas e aquela ceifadora? O que ela realmente queria? Matar pessoas não lhe parecia uma razão muito convincente, mas vamos continuar, né? *

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Sex 11 Out 2013, 12:00

Narrador:

A figura sorriu e balançou a cabeça negativamente, mas parecendo se divertir com o comentário de Jason:



- A morte tem vários rostos Jason Keylosh.



A voz naquele momento era feminina e correspondia ao rosto, falando de uma calma mais tranquila e delicada. Parecia que ia prosseguir contando algo, mas Jason e a interrompeu e não fez questão de prosseguir enquanto este atravessava o portal. Ao invés disso, voltou-se para a Camilly ja arrumando seus trajes mais uma vez.



- Ele parece motivado...Espero que também esteja assim Camilly, quem sabe não paramos para arrancar alguns...Corações no caminho?



Sorria enquanto dizia isso para ela, terminando de colocar o manto. A frase teria sido apenas uma coincidência? Sendo indagada a respeito ou não, a figura entraria no portal sem fazer mais nenhum comentário a Camilly, se juntando aos demais apenas do outro lado do mesmo.



Talvez ambos jamais tivessem sentido tanto frio na vida, a medida que seu mais novo aliado aparecia do lado deles. Também pudera, estavam em uma caverna onde o chão, as paredes, o teto e tudo que viam eram completamente brancas: Justificado pelo fato de serem feito puramente de gelo. A sensação era aumentada ainda devido ao fato de terem sido "jogados" de uma cabana para la, onde quer que aquele local fosse.



- Desculpem, talvez devesse ter avisado para se preparem de maneira adequada ao clima, devem ter percebido que não sou muito bom com detalhes... Aproveitando que os guardas ficaram em outro plano material, existe algo que precisem? Armas, recursos, alguma coisa?



Talvez um casaco de peles? Mais uma vez o ceifador estava com a aparência e voz original, segurando suja foice em meio aquele cenário congelado e aguardando novas perguntas. Curiosamente, o ato dele/dela falar não gerava nenhum tipo de ar quente saindo por baixo de seu manto. Mas era o esperado da morte certo?

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Admin em Seg 14 Out 2013, 11:00

Jason:

Jason olhou ao redor, confuso pela mudança brusca de ambiente. Mas aquilo não importava agora. Mesmo com bafo gelado saindo-lhe pela boca e tremendo ligeiramente, ele responderia à Morte enquanto Camilly vinha pelo portal:

- Armas! Sim! Precisamos de armas! Armas brancas, pergaminhos de ataque, objetos mágicos, poções de melhoramento. Mas, mais do que isso, precisamos de seguidores! Precisamos de um exército! Isto não é apenas sobre minha vingança. Eu quero destruir tudo o que meu pai mais preza. Eu quero trazer o Império abaixo!

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Memórias de uma Sociedade - Parte 2 (Encerrado)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum