Ahmik invade Amenphis (O Ataque do Enxame -ENCERRADO-)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ahmik invade Amenphis (O Ataque do Enxame -ENCERRADO-)

Mensagem por Admin em Dom 12 Jan 2014, 01:12



[Resumo: Já em simbiose com uma criatura do Enxame e em contato permanente com sua entidade conhecida como Mãe-de-Todos, Ahmik invade a cidade de Amenphis com o objetivo de estabelecer uma base para seus rituais. Noerya consegue correr para longe e se salvar, mas ninguém mais é poupado.







Ahmik Tseeru
"Já passara uma semana desde que Ahmik se envolvera com Ragnorra, ele conseguiu durante esse tempo controlar com alguma habilidade as novas formas e poderes advindos daquela que se chamava Mãe-de-todos. Fora um longo treinamento com o concílio, os jovens, que sem saber, ajudariam a destruir o mundo conhecido, para eles o que faziam nao passava de um novo treinamento ordenado pelo mestre, mas o que eles aprenderam em uma semana era um feitiço da vida alterado. No inicio Ahmik nao entendia bem como aqueles seres funcionavam, mas ao que parecia era como a comunicação da cabeça com os membros, eles eram um em todos, e acabava que uma alma atingia também a todos, era mais facil do que ressuscitar humanos, como pegar o azul do ceu e implantar num corpo. Isso era bom, fora facil aprender como reviver as criaturas, elas seriam eternas, afinal seus corpos eram extremamente resistentes. E então, após uma semana de deicação extra aos trabalhos com magia, Ahmik se retirava com um pequeno contingente para Amenphis. Não queria estardalhaço, não queria que fossem percebido antes do momento do ataque às grandes forças Imperiais e outros exercitos do continente. Eles atravessaram o deserto, e diante da entrada de Amenphis Ahmik parou, um pouco distante, no centro de um altar de pedra enfeitado com panos e bandagens que voavam ao sabor do vento vindo de Nesu, uma velha senhora olhava-os chegar*

Narrador
*Na semana que se passou, mais e mais criaturas nasciam, provenientes dos ovos na gruta da cidade subterrânea. Eles se multiplicavam em uma quantidade assustadora. Ragnorra se comunicava com Ahmik, ordenando às criaturas menores que se sacrificassem para que Ahmik pudesse testar seus métodos de reanimação. Caso Ahmik chegasse a dissecar uma ou várias das criaturas, encontraria em seu interior diversas estruturas adaptacionais adquiridas ao longo de eras de evolução. Todas ali possuíam garras, boca, muitos olhos, asas, reservatório interno de comida e água que durava muitos dias.
Elas também aprenderiam a andar no deserto. Muitas das criaturas morriam com o calor, mas cada uma que perecia era substituída por 3 vindas dos ovos da gruta. E a cada morte, a nova criatura resistia um pouco mais, até que alguma delas conseguisse resistir ao calor ardente. A partir daí, todas as novas criaturas também nasciam com esta habilidade.
Assim, quando Ahmik partiu com seus discípulos e com quem desejasse levar da cidade subterrânea, incluindo Jarvik ou Adjira, ele foi acompanhado por uma boa parte daquele enxame. As criaturas andavam camufladas por baixo da areia escaldante, e surgiriam no momento oportuno, quando Ahmik ordenasse.*

Ahmik Tseeru
*Noerya caminharia até a entrada, não havia ninguém na cidade além de guerreiros e a idosa, crianças e mulheres foram retiradas, pois como Ahmik previra ela ficou sabendo no momento da morte de Zaek, que Ahmik se perdera.* - Filho...* Aproximou-se de Ahmik* - ..eu o disse para não deixar a nossa luta, Ahmik...Não esperava que Amenphis morresse antes mesmo de renascer!* Ahmik ficou balançado com a figura de NOerya, mesmo que ela estivesse calma, pois sabia o que aconteceria. Lágrimas rolaram em sua face, mas ainda assim ele deu a ordem* - Matem-os... * Ahmik viraria as costas, mas ao que parecia eles teriam mais trabalho. Noerya se transformou num gato de dois metros de altura totalmente negro, e os soldados começaram a invocar magias uma após as outras, eram, assim como Ahmik, múmias e revelavam suas verdadeiras naturezas, controlavam vento, golens de areia, lutavam com habilidade invocando a substancia negra da MOrte, assim como o sacerdote. Eles não parariam, nao cederiam sem lutar. *

Narrador
*Imediatamente após a ordem de Ahmik, as criaturas do Enxame saíram da areia. Milhares delas voltando à superfície, de diferentes tamanhos e formatos. O Enxame invadiu a cidade de maneira rápida e organizada, espalhando-se pelas ruas e casas. Havia tantas criaturas que a ressonância de anti-magia tomou toda a cidade. Isto significava que todas as magias conjuradas pelas múmias falhariam instantaneamente. Caso a transformação de Noerya fosse sustentada por magia, ele voltaria à forma humana. Nem mesmo Ahmik conseguiria conjurar qualquer coisa ali, mas ele possuía um trunfo: Sua forma insectoide era poderosa, mesmo sem o uso de magia.*

Ahmik Tseeru
*Noerya se sustentava não pela magia, mas por sua raça, era uma metamorfa. Ela também não aceitara a morte, e conhecera profundamente seus segredos. Naquele momento ela já sabia de tudo, ela sempre sabia, dizem que quanto mais a pessoa vive mais entendiante fica a vida, porque a conhecimento de tudo lhe é revelado. Noerya conservara seu amor pela vida. Ela não se deixaria morrer daquela forma, vendo que tudo falhava, ela pos-se a correr pra longe, assim como as demais mumias, menos as que lutavam bravamente com suas proprias maos, eles estraçalhariam quantas fossem possiveis, ate a morte. Noerya correria para as piramides, seria dificil acompanha-la, afinal corria muito rapido nessa sua nova forma. Ahmik enquanto isso chorava, incapaz de atacar, ficou ouvindo as mumias que ficaram morrerem, não era uma luta, era um massacre*

Narrador
*Seguindo a ordem de seu mestre, o Enxame não poupou ninguém. Demorou apenas alguns minutos até que a população fosse completamente dizimada. Não perseguiriam Noerya, a menos que fosse ordenado, e também não matariam aqueles que não apresentaram resistência, a menos que Ahmik mandasse. De qualquer maneira, a cidade ficaria mais silenciosa em pouco tempo. Os gritos cessaram. Havia apenas o barulho dos ventos do deserto e o tilintar de garras do Enxame, esperando pela próxima ordem. Amenphis pertencia à Ahmik Tseeru agora.*

Ahmik Tseeru
* Ahmik não olhou até ouvir o ultimo suspiro, após isso ele observou a areia suja de sangue, seus olhos estavam marejados, mas ainda assim via o resultado de tudo. Notou que Noerya não estava lá, não via resquícios de seu corpo.* O que vocês fizeram? Vocês deixaram Noerya escapar! * Gritou a todos, esbravejando, apesar da dor que sentia, se ela escapasse poderia ser um furo no plano. Não queria alarde naquele momento, precisava estar em Amenphis pelo menos por mais uma semana para completar tudo.* Achem-na...corram! * Noerya tinha corrido para as pirâmides, as ruínas da velha cidade dariam a ela a chance de escapar. Ela não precisava de nada além de uma adaga e de um lugar para poder usar sua magia. Como os insetos estavam distantes isso lhe era possível. A bubasti cortou a própria garganta e deitou-se no chão. E com o ultimo folego cuspiu para fora de si um escaravelho negro. Quando chegassem, veriam seu corpo negro manchando de sangue a base do altar de pedra numa câmara cheia de escritos e estátuas, canopos e forte cheiro de natrão e ervas*

Narrador
*As criaturas perseguiram Noerya até o altar, apenas para encontrar o corpo dela sem vida. Sem saber o que fazer, elas acabaram retornando para Amenphis. Correr na areia era incômodo para aquelas criaturas. Muitas delas não conseguiam alcançar velocidade ou eram desengonçadas ao pisar na areia fofa. Quando voltaram, Ahmik notou que uma das criaturas havia desenvolvido pernas alongadas com patas duras e com base larga, que usaria para correr na areia em alta velocidade. O Enxame ia se adaptando ao ambiente do deserto aos poucos.
Após o massacre, Jarvik se aproximou de Ahmik. Ao contrário do sacerdote, Jarvik não sentiu absolutamente nada ao ver a cidade onde ele cresceu ser dizimada. Mesmo que não fosse uma múmia, ele conhecia a maioria ali. Ragnorra já havia retirado qualquer resquício de emoção dele. Ele disse à Ahmik.*
Mestre Ahmik, não se preocupe com a fugitiva. Mesmo que ela consiga avisar alguém sobre nossa presença, já teremos fortificado as defesas da cidade e ficaremos camuflados. Vc terá tempo suficiente para suas tarefas. Há um prédio espaçoso no centro da cidade que podemos usar, é o local que será melhor guardado. Adjira providenciará um local onde vc poderá descansar, Mestre.





CONTINUA

_________________
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 1205
Data de inscrição : 21/06/2010
Localização : Nova Terânia

http://novaterania.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Invadidos! A Nação Esquecida se Ergue!

Mensagem por Imperador Renon em Qui 16 Jan 2014, 20:54

Objetivo do Jogo: Após a invasão de Amenphis, o agora PRIMONATO DO ENXAME AHMIK, estabelece comunicação com alguém... inusitado.
Objetivo Realizado? SIM. Ahmik e Ragnorra são informados de uma potencial nova ameaça... ou um recurso promissor caso os planos de Ahmik dêem certo!


MESTRE
*Aquele golpe fora executado com frieza e maestria. Mesmo não possuindo emoção alguma além da "fome", as criaturas do Enxame rosnaram, direcionando seus rugidos ao céu, onde o cometa continuava a crescer no firmamento. O mundo não sabia, alias, O Sumo-Sacerdote e seus comandados sabiam sim o que era aquilo. A Precursora da Vida, a Mãe-de-Tudo se aproximada, vinda do infinito do mar astral, pronta para ser recebida pela sua criação e seus novos "Primonatos". Essa definição ecoava por todas as castas que Ahmil podia sentir. E ele sentia CLARAMENTE que outros dois "Primonatos" também haviam se erguido: Um ao extremo norte de Stormhigh e outro no ar de Atlan. Não pareciam ter despertado ainda, mas a caracteristica marcante de um "Primonato", aquilo que parecia uma CANÇÃO ecoando na mente coletiva, agora eram três destas canções.* - Mestre, os preparativos terminaram, toda a cidade foi tomada e as formas orgânicas absorvidas. Os primeiros Roubacarne foram criados com isto. *Roubacarne: Pequenos e ágeis criaturas. Se parecem com "FaCEHUGGERS" (vide filme ALIEN, as criaturas que grudam no rosto das pessoas e poem ovos.) sua principal função é colher material de outras criaturas e trazer para o covil, depositando esse material nas chamadas "Poças de evolução.". Dali, com o comando de Ahmik, qualquer tipo de criatura poderia ser criada...* - Mestre, tenho uma questão. *Jarvik falou sempre em um tom calmo, totalmente frio.* É notável que estamos tem dificuldades de adaptação contra o clima seco. Linhagens inteiras morrendo antes da maturação. Local não ideal para proliferação do enxame...

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME

*Ahmik podia sentir seus outros irmãos de maior porte, emitiam a mesma energia que pulsava dentro dele agora, as mesmas vozes. Ahmik chegou até o templo a tempo de ver o corpo de Noerya, engoliu em seco ao imaginar que sua cuidadora o tinha deixado de vez. Mas era por uma causa justa, tantas coisas lhe fora tirada, era o momento de todos aprenderem a mesma dor que tinha sofrido, aprender e evoluir. Olhou para Jarvik somente após ver o corpo de Noerya totalmente devorado* - Não permita que a anti-magia atinja esse lugar, traga o Concílio pra cá, começaremos o ritual. *Ahmik saiu do templo e olhou as areias, muitas das criaturas mortas* - Jarvik, façam com que preservem os corpos, testaremos a magia neles. Bem...podemos criar um clima para eles, mas não é melhor que evoluam? Aqui terão que se adaptar, o deserto não é complacente com ninguém!

MESTRE
*Jarvik para estar num tipo de sincronia diferente com o Enxame, um nível diferente mesmo do que o de Ahmik. Sua aparência começa a se modificar, devagar, mas era possível notar pequenos apêndices semi-móveis, como braços em desenvolvimento, saindo de suas costas, traços originais se perdendo, lentamente.* - Molda-carnes estão criando contenções eficientes neste local. Fonte de energia "Magia" ainda não completamente compreendida. Criaturas enxaminideas não conseguem criar a mesma ligação que o Mestre possui com a fonte da "magia", a "TRAMA". Isto é uma vantagem evolutiva, pois o enxame se torna mais resistente a forças invocadas por "Magia", e uma desvantagem, pois criaturas compostas de pura "Magia", ou com essências mágicas muito fortes, são praticamente invisíveis para o Enxame. No primórdio, criaturas denominadas "Deuses" utilizaram esta fraqueza contra a Mãe-de-Tudo. A conexão com o Mestre Ahmik está provendo informações importantes sobre este tipo de energia. A Mãe-de-Tudo está agradada. *Jarvik confirmou com a cabeça, e logo os corpos eram carregados para os locais de conservação pelos operários. Molda-carnes criavam torres, meio orgânicas, meio metal, ao redor do lugar. Aquelas torres criavam frequências que ressonavam e impediam avanço de efeitos indesejáveis, incluindo anti-magia.* - Mestre, possível solução encontrada. O Enxame possui problemas em ambientes extremamente secos. Nossos corpos consomem água rapidamente. A água é a fonte principal de nossa energia. O subsolo do deserto é úmido. Posso criar transportes, grandes VERMES TUBULARES, que nos carregarão abaixo das areias. Isto serverá como proteção temporária, permitindo novas soluções para o problema da umidade.

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME

- A magia deveria ser compreendida por vocês! Seriam capazes de criar água do nada, simplesmente com um ritual ou feitiço. De qualquer maneira....faça dessa forma, mas cuide para expor os insetos ao calor e areia para que consigam se acostumar. Gastem quantas gerações forem necessárias, conservem os corpos e serei capaz de traze-los de volta.*Ahmik se transformaria para sua forma insectoide, ele também precisava se adaptar com aquelas novas características corpóreas, ate mesmo porque precisaria se utilizar dela futuramente. Transformou-se e foi aplicar sua capacidade de voo para explorar as modificações que o enxame estava realizando em Amenphis. Naquele momento ele se perguntava se algum olhar recaia sobre Amenphis, se Deskrausser já sabia de algo, afinal de concreta relação, apenas aquele país tinha interesse nas terras áridas ao longo do Nesu* - Qual será nosso próximo passo, afinal?

MESTRE
*Criaturas com múltiplos braços e aparência mais frágil, centenas delas, construiam as torres de ressonância. A medida que eram construídas, a anti-magia era lentamente repelida. Criaturas grandes, enormes, lembrando vagamente besouros, destruíam as construções consideradas inúteis, e escavavam túneis. Poucos enxaminídeos haviam desenvolvido completamente a capacidade de voo, ainda demonstrando asas atrofiadas. Ahmik era praticamente o único a ter aquela habilidade plenamente desenvolvida. Jarvik ainda falava com Ahmik.* - A criação original da Mãe-de-tudo não possuía tal problema. Sua imensa força vital pode manter a todos nós plenamente funcionais. Como ela ainda encontra-se distante, não podemos aproveitar sua energia totalmente. Dei a ordem para que Exterminadores sejam criados e enviados para o deserto, recolhidos e recriados, até atingir um estágio de evolução aceitável. Mestre, o s... - *Um zumbido agudo interrompeu a comunicação, na verdade quebrou, pela primeira vez, a conexão entre a rede coletiva e as criaturas do Enxame ali, incluindo Ahmik. Foi doloroso, muito doloroso, e cada criatura dali urrou... e logo depois pareceu ficar em um estado de letargia, movendo-se sem direção e sem sentido pela cidade. Ahmik não ouvia mais a Mãe-de-Tudo... ... e uma voz masculina, em um timbre agradável, cativante, falou ali.* - Sei que estão por ai. E quero que saibam que também estamos aqui, aguardando-os. Temos conosco um daqueles que parecem ser seus generais. Encontramos ele quase morto e o resgatamos. Criar este link entre sua mente coletiva foi desafiador, mas essa é uma palavra que apenas nos embala neste reino, e nesta nova era. *Houve silêncio por alguns instantes. Ahmik ouviria também uma voz feminina, talvez familiar, soava dura e severa...* - Precisamos ser mais objetivos aqui. Esta imersão psiônica causa danos irreversíveis a mente dos clérigos da Inquisição, não pode se prolongar ainda! *Novamente a voz masculina falou.* - A todos os demais "generais"... saíbam que em meu reino vocês encontrarão ajuda e não resistência. Concordamos em muitos pontos, incluindo que este mundo está corrompido a ponto daquilo que chamam de "vida" ser apenas um bando de criaturas ditando o que é certo e errado. Vos digo que considero sua raça uma BÊNÇÃO... e que NOVA DESKRAUSSER, e seu regente que vos fala, o Lorde-Poeta SERPION VON KRAUSS, descendente direto da linhagem de Serhaza, porém intocado por sua corrupção. Temos aliados, fortes e com pensamento iguais aos nossos, e queremos conhecer, e entender, tudo aquilo que desejam. Irei transmitir um sinal constante a partir de hoje, sigam-no e estaremos esperando representantes para possíveis negociações pacificas. REPITO: Nosso objetivo é o de vocês: Uma nova esperança para este mundo quebrado e corrompido. *A mente coletiva subitamente retornou, como se nada houvesse ocorrido... os enxaminideos voltaram ao trabalho no mesmo instante.*

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME
*Ahmik se preparava para voar quando ela coisa penetrou a mente coletiva que partilhavam, imaginava que aquele enxame era forte demais para algo desse tipo, principalmente pelo potencial anti magia. Contorceu-se coma interferência, mas foi possível estabelecer uma boa escuta. Então Deskrausser realmente estava observando-os, e agora com a Morte de Noerya, que talvez fosse o que os manteve longe por um tempo. A única coisa que parece ser possível a eles era falar, por isso não se preocupou em responder, de qualquer forma pensava que a Mãe-de-Todos teria algo a falar sobre essa proposta. Após a mensagem tudo retornou como antes* - Jarvik?! Achei que isso era inquebrável..a antimagia não está funcionando? *A invasão mental preocupava o Primonato Ahmik. Tentou estabelecer contato com o enxame, perceber o que havia em Deskrausser e o que estava acontecendo. O que afinal tinha acontecido para que descobrissem os insetos? Apenas a invasão de Amenphis?*

MESTRE
*A voz de Jarvik sibilou.* - Invasão. Nunca aconteceu antes. Criatura utilizou uma forma de conexão desconhecida diretamente com o sistema nervoso do Primonato por ele capturado. Perigo. Mente das criaturas neste mundo primitiva para compreender forma de pensamentos do Enxame, mas podem conseguir através do prisioneiro. *Houve um momento de silêncio total. Logo depois a voz da Mãe-de-Tudo ecoou por toda mente.* - Nós não podemos deixar esta contaminação continuar! Senti interferência de meus antigos oponentes... FORÇAS DIVINAS estão agindo em segredo neste mundo! Em meu caminho celeste, encontrei e destruí uma frota de naus voadoras, e seus ocupantes eram combatentes de poder considerável, imbuídos com força divina! Rumavam na mesma direção que eu. Essa invasão não pode ser deixada de lado! Primonato Ahmik... vá até onde o estranho disse que estaria... Descubra como ele conseguiu isso e quem está dando poder a ele! MATE o Primonato que se deixou ser capturado. Em breve, muito em breve, estaremos chegando. Daqui em diante, cada dia que me aproximar, deixará a todos vocês, meus filhos, mais fortes e vigorosos. Minha energia vital começa a mudar este mundo. Logo seremos tomaremos por direito o que é nosso, o que sempre foi nosso. *A voz da Mãe-de-tudo cesso. Ainda soava distante, mas sua energia nos céus realmente era bem maior. Jarvik falou.* - Mestre, temos opções. Ir diretamente até o local onde nos foi indicado. *Ahmik veria um mapa em sua mente, uma linha uqe atravessava o CORAÇÃO do reino de Terânia... e outra que desviava do continente, indo pelo mar, até a costa de Deskrausser.* - Opção pela rota via Terânia: Extremamente dificil. Podemos encontrar forças com poder para nos repelir. Não indicada, mas possível com estratégia e furtividade. - Opção pela rota maritima: Mais longa, porém mais simples. O Oceano nos manterá ocultados. Muita bio-massa disponível. Podemos realizar grandes aprimoramentos. Qual a sua escolha...?

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME
*Ahmik cogitava sobre aquele ataque e sobre uma aliança, na verdade o que Ragnorra queria não era bem uma aliança, mas talvez fosse uma maneira mais simples de acessar aquela parte, não seria importante dar a eles conhecimento sobre o Enxame, mas apenas a falsa ideia de que estavam ao mesmo lado. Ahmik transmitiu isso a Mãe-de-todos, talvez fosse mais fácil pra eles do que uma batalha frente a frente agora, afinal isso os revelaria de vez a todas nações. Deskrausser era um local vigiado pela suas histórias do passado.* - O que acha de não os matarmos, mas aproveitar deles? Acharão que serão um presente, mas podemos usá-los, Mãe.* Não decidiria nada até que sua ideia fosse considerada de alguma forma*

MESTRE
*A voz da Mãe-de-Todos falou novamente...* - Estabelecer nosso ninhal principal no centro do mundo, a meio passo de todos os lugares e usarmos essas criaturas para a recriação total? Se tivermos criaturas nos servindo, mas de livre vontade, nossa infiltração no resto do mundo pode ser mais rápida e sem desperdício de nossa bio-massa. Primonato... sua ligação com o passado desse lugar chamado "Deskrausser", é suficiente para que venham a considera-lo como "não-ameaça"? *Ragnora parecia não conhecer a expressão "aliado"... nem entende-la. Em seus pensamentos havia apenas ENXAME e não enxame...* - Se você, meu Primonato, conseguir domina-los a sua maneira, farei de você minha voz neste mundo. Prepare o local, então, para que seja meu ponto de chegada, nosso ninhal principal, oculto de todas as demais criaturas neste mundo.

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME
*Ahmik ponderou, não confiava nos Deskraussianos, mas sabia de objetivos em comum* - Não acredito que devamos dar a eles a ninhada principal, Mãe. Mas devemos deixa-los confiar em nós, sempre sobre vigilância, pois o que querem é também governar o que é seu. Vamos simular uma aliança apenas. Devemos conecta-los, mas sem dar a eles as informações que sabemos. Compreende? * Ahmik virou-se a Jarvik enquanto esperava a voz de Ragnorra* - Preparem os barcos, iremos a Deskrausser pelo oceano.

MESTRE
*A voz da Mãe-de-tudo soou novamente.* - Você é uma excelente adição a nossa mente. Apenas a destruição seria necessária, mas seus pensamentos... abstratos e surpreendentes... ensinam a nós algo que achei desnecessário. Você tem minha permissão, Primonato. Vá e conquiste em nome do Enxame. *No instante seguinte Jarvik falou.* - Transporte aquático. Iniciando criação de transportes biológicos. Capacidade de transportar até 100 criaturas por vez. Capacidade de ficar até 3 horas submerso. Velocidade de avanço média. Insetos-Ilha serão criados nas poças evolutivas. Quando estiverem prontos o Mestre será informado. Deseja enviar batedores a frente para determinar se rota é segura?

AHMIK TSEERU, PRIMONATO DO ENXAME
*Ahmik suspirou, seria uma conversa interessante* - certo Jarvik, mande os batedores. Reúna as informações coletadas pelo enxame em Deskrausser até o momento. Quero saber se existem ações por detrás disso e quero saber seus pontos fracos, vamos cuidar para estar a frente deles. Prepare nossos soldados para espalhar a anti-magia rapidamente ou teremos problemas se for uma emboscada.* Era tudo que podia fazer no momento. Era hora de encarar o povo que estava reconstruindo Amenphis. O que será que pensavam de sua recente destruição? *

(CONTINUA EM O ATAQUE DO ENXAME - INVASÃO - )
avatar
Imperador Renon
Admin
Admin

Mensagens : 394
Data de inscrição : 22/06/2010
Idade : 37
Localização : Nova Terânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum