Herdeiros do Trono - Parte III[encerrado]

Ir em baixo

Herdeiros do Trono - Parte III[encerrado]

Mensagem por Joshua Stranford em Dom 12 Jan 2014, 17:34

Joshua:
Era o fim do entardecer. Era um horário que certamente Minami e Lei já estariam em casa com certeza. Joshua se sentia levemente desgastado, mas precisava fazer aquilo sozinho primeiro. O fato era que precisava levar Diana e precisava testar antes o que ela capaz, todos os detalhes que Alathea tinha conseguido, sim eram informações, mas a prática era outra.
Eram tantas coisas ao mesmo tempo em jogo... mas Joshua preferia tentar manter a maior calma possível. Conversar com Diana teria um grande fator... ter mais informações sobre Valkyrion. Valkyrion e Stormhigh que consequentemente o azulado precisaria fazer seu melhor como diplomata, embora não sendo o exemplo disso. O único problema que reinava era que Valkyrion, ele tinha pouca informação, só Rhea... que andava desaparecida desde então.
Andava de um lado para o outro após bater na porta da casa Keylosh. Nervosismo que refletia com um clima úmido e nublado. Provavelmente uma noite chuvosa que estava por vir e coisa que não era esperado pelos metereologistas de Terania. De fato, eles odiavam Joshua.


Minami:
*Visitas. Nada mais irritante que isso depois de um dia inteiro experimentando - a contra-gosto - como era criar uma criança que não era sua filha e após uma caçada inútil. Alguns minutos se passariam até que a oriental abrisse a porta, séria como sempre era, nada amigável ou acolhedora. E o fato de não conhecer Joshua não ajudava em nada. Os braços foram cruzados e expressão facial parecia piorar a cada segundo que aguardava.* Pois não?

Diana:
*Já conseguia voar com leveza e habilidade, então fazia o caminho do quartel para casa sem maiores problemas. Vestia uma meia-armadura pesada, e parecia bem acostumada a ela. Não tinha armas, olhos vendados e um sorriso no rosto... até notar o dragão a frente da porta de casa. sua percepção permitia ver através deste tipo de subterfúgios magicos, e ela não hesitou em mergulhar dos céus, girando no ar e caindo próximo a porta. No mesmo instante abria as grandes asas, fazendo surgir e flutuar no ar duas espadas, saídas de lugar algum...* Você está bem, Senhra Minami??? *Não conhecia Joshua... mas estava preparada para conhecer...*

Joshua:
Não era apenas um evento que levou o dragão a franzir o cenho, eram dois. Primeiro a mau humorada esposa do comandante e depois a menina. Reverenciou para Minami de maneira respeitosa e depois se virou para Diana, onde se ajoelhou perante à garota.
- Lady Diana Valkyr Slade, é com grande prazer que finalmente tenho a chance de te conhecer pessoalmente sem nenhum obstáculo de imediato. Não sei se lembra, mas seu pai me deu o título de General embora nunca tenha oficializado isso. Conheci vossa mãe em situações diferentes e se não fosse a falta de tempo, teria certeza que aquela que carrega Mjölnir teria ótimos momentos para conversar com um draconiano da tempestade. Gostaria muito de ter mais tempo para conversar não só com a filha do Imperador Renon e uma das mais poderosas mulheres, como também queria que a situação para nosso encontro fosse muito melhor. - Permaneceu ajoelhado. - Hoje peço primeiro apenas alguns minutos com uma conversa mais particular com Lady Diana... e se Lady Diana desejar, ou um pouco de tempo para uma parada (vindo de parry, na intenção de duelar) comigo enquanto conversamos.

Minami:
- Está tudo bem, Diana. Vá para dentro, o jantar está pronto.
*Minami óbvio que não gosto de toda aquela cena. Era desconfiada por natureza e um desconhecido 'assediando' sua 'cria postiça' não era agradável.*
- Não vai conversar a sós com Diana. SE for conversar, terá de ser na presença de meu marido ou minha. Não importa se general ou não.

Carlos Henrique Batista
Alguém falou em jantar?! *Lei apareceu na sala ali, logo depois que Diana adentrou - ou não - a casa. Apenas a palavra "jantar" fora o suficiente para atrair o barbudo. Estava apenas com a calça da farda e uma camisa de algodão regata com uma enorme mancha de hidromel na área da barriga, que já estava protuberando. Ele falou rapidamente com Diana.* Diana, um dos capitães queria que vc participasse do treino do grupamento dele e... *Então notou que Joshua estava à porta. Ele pigarreou, ficando mais ereto e se aproximando de Minami.* Joshua, é um prazer revê-lo. O que o traz até nossa casa? Por favor, entre.

Diana:
Oh... *Tão rápido quando as armas surgiram, elas desapareceram. Também fechou as grandes asas e não entendeu o porque de um general se curvar perante ela. Fora ensinada sobre hierarquia militar, e ela não era sequer cadete ali! Ficou sem saber o que fazer, as maçãs do rosto ficaram rubras e ela fez o tradicional cumprimento terâniano. Ficou ali, sem palavras... Olhou para trás, para Minami. E ai falou baixinho...* - Senhora Minami, ele é um general... Não posso desobecer uma solicitação de patente tão alta... Mas... Também não posso desobedecer a Senhora... *Ficou vermelha, roxa, verde e só depois de parar para analisar o que Joshua falou, tornou a falar algo.* - Era amigo de minha mãe...? Nunca pensei que ela tinha amigos... Ela é dificil de se conviver... *Sorriu enquanto coçou a cabeça.* - Eu.. não tenho nada contra, é uma honra... Minha mãe conta histórias sobre dragões e eles são muito fortes... Mas a Senhora Minami não... *Parou ao sentir a chegada de Lei, e abriu um sorriso enorme. Na verdade havia farejado, estava ficando ótimo nisto.* - Sr. Lei! Um general... *Apontou para Joshua, sem graça.* - Pede para ele se levantar... Por favor! *Corou, estava realmente sem graça com aquele tratamento que nunca teve. Fora criada para ser uma soldado, não ser reverenciada...*

Joshua:
Joshua traja suas armaduras de general como sempre. Levantou a cabeça de leve só para olhar Lei... A melhor opção foi fechar os olhos de imediato, simplesmente para não perder a postura.
- Senhora Minami, este será um direito de Lady Diana. Cabe a ela decidir pois ela terá esta opção em mãos.
Respondeu a Lei logo em seguida.
- Comandante, agradeço pelo convite, mas hoje tenho assuntos mais diretos a Lady Diana apenas. Serão apenas alguns minutos que gostaria de usar para conversar. Após isto, ela estará de volta em casa, prometo.
E por fim respondeu à Diana com um sorriso no rosto.
- Ela sim é uma pessoa difícil, mas não impossível. Talvez por causa de nossos elementos, só lhe sobrasse a força. As valquírias também eram poderosas guerreiras, mesmo um dragão como eu não as enfrentaria de frente. - Quando ela se pronunciou para que pedisse para se levantar para Lei, Joshua o fez. - Lady Diana, não gostaria que esses cargos militares lhe aflingissem tanto hoje a noite. Aquela oferta de parada ainda está de pé e gostaria muito de ter nossa conversa. - Dava no fim um sorriso bem amigável. Segurou-se em sua capa azulada com o emblema do império, levemente ansioso com as respostas, principalmente da garota.


Minami:
- Será um direito quando ela for dona de si. Enquanto sob meus cuidados, ela obedece.
*Odiava todo aquele teatro de Joshua. Ajoelhar-se e falar com toda aquela pompa para uma criança. Uma criança que só tinha tamanho. Colocou a mão no ombro de Diana, apertando-a bem suavemente.*
- Entre e vá jantar. Agora. - voz baixa, firme… Minami não era de escândalos.

Carlos Henrique Batista
*Lei complementou à Diana.* Você conhece sua mãe, loirinha. É melhor ir comer enquanto conversamos com Joshua. Ele já se levantou e eu já o convidei. Não se preocupe, Diana. *Indicou uma poltrona na sala para Joshua enquanto entrava com Minami. Lei foi direto ao ponto.*
Joshua, tenho de concordar com Minami. Katherine Raven trouxe Diana até mim por ordem de Renon. Ela pertence à minha família agora e eu e Minami consideramos ela como nossa filha. Se pudéssemos pelo menos saber sobre o que quer conversar com ela, seria melhor. Então podemos chamá-la depois que ela terminar de jantar e podemos todos conversar sobre o que vc quer. Juntos.

Diana:
- Sim Sr Lei... *Ainda estava muito confusa. Mas não fora ordenada a nada, e sim solicitada, então obedeceu a ordem vinda de Lei. Cumprimentou Joshua, abaixando o corpo levemente.* - General... eu gostaria de ouvir sobre minha mãe... Se pudesse ficar... Eu agradeceria... Mas não posso negar ordens de meus senhores nesta casa... *Virou-se lentamente, adentrando a casa.*

Joshua:
- Mediante à vontade dela, comandante, senhora Tomoe, eu a invoco por ordens como General para se apresentar para uma entrevista a sós comigo. - Suspirou. - Sei que não confias em mim senhora, mas esta situação se torna necessária mediante a assuntos que tenho pela frente como diplomata. Sinto muito ter que usar isto, mas eu REALMENTE desejo falar com ela a sós. - Mantinha uma calma daquele momento a diante.


Minami:
Irritava-se. Aquela situação não fazia muito além de irritar Minami que já rosnava baixo antes de responder Joshua.
- General, Comandante, Imperador, Deus, não importa! Diana NÃO conversará nada a sós com você. Ela não é militar, não é soldado, nada. E não irá obedecê-lo. Está convidado a entrar, conforme disse meu marido.

Carlos Henrique Batista
*Lei não repreendeu Minami, até porque ela falava exatamente o que ele estava pensando. Mas Lei estava falando de forma mais amena.* Joshua, não me lembro de vc assumir uma posição superior à mim em Terânia. Renon nunca me informou tal fato e, mesmo que isto seja verdade, sua ausência em comandar as forças teranianas foi tamanha que o único superior que qualquer soldado nesta cidade conhece sou eu. De qualquer maneira, Minami está certa. Vc está em nossa casa e tem de respeitas nossas regras. Não importa quem Diana seja ou quem VC seja, ela é nossa filha e vc respeitará as vontades de seus pais. O fato de vc se recusar a dizer o assunto me preocupa, Joshua.

Diana:
-Sra Minami... Por favor... *Estava extremamente incomodada com aquela situação.* -Em Valkyrion, não importa se você é militar ou não. Um ordem de um militar deve ser acatada. Mesmo não sendo uma militar, meu pai ainda me faz ser uma Imperial... *Ouviu o que Lei falou, e corou mais ainda.* -Sr. Lei... Não é assim que isso será resolvido... Eu... *Suspirou.* - Eu gostaria de falar com ele... Ele é amigo de minha mãe... Mas prefiro que seja com sua permissão. Não quero deshonrar sua casa. Mas minha mãe e meu pai me ensinaram a obedecer uma cadeia de comando. *Voltou-se para Joshua.* - Porque não pode falar na frente deles, Sr. Joshua? Sr. Lei e Sra Minami tem razão em quererem me proteger, e o Sr. Tem razão em usar uma ordem de comando... Porque todos não podemos apenas conversar...? *fala pausadamente, séria, um tanto chateada com tudo aquilo. Era a cópia de Celestia e seu jeito tranquilo e calmo...*


Joshua:
- No dia que fui aceito como um Cavaleiro Imperial, o Imperador já me colocou como um plano B na sua ausência. Qualquer momento que ausentasse no Império, eu estaria encarregado. Os militares de ranks altos sabem disso, mas nem todos de baixo tem conhecimento disso. E até agora não houve necessidade de minha intervenção, afinal tem feito um bom trabalho, comandante. - Sorriu. - O Imperador tinha ciência de que eu não estaria tão presente por causa de Uris, mas mesmo assim ele decidiu me manter caso se ausentasse, Lei. - Reverenciou-se de leve. - Sinto muito, mas por hora são assuntos urgentes, mas eventualmente ficará sabendo. Afinal, como disse, primeiro gostaria de algumas conversas a sós e a primeira é com Lady Diana. - Embora não tenha conhecido sobre Celestia, o que Alathea tinha juntado dizia bastante de Celestia. - As descrições batem bem com o que me falaram de Celestia. Gostaria de conversar sobre ela também. - Estendeu a mão para Diana.

Minami:
- Diana, entre AGORA. - já não era pedido, era uma ordem clara e dita em bom tom. - E não estamos em Valkyrion. Entre. Agora.
- E você, Joshua. General? Muito interessante que só seja general agora. É como um alfa que só é alfa ao exigir o primeiro pedaço da caça, depois que os outros fizeram todo o trabalho. Conveniente. - Bufou, mantendo os braços outra vez cruzados. - Serei clara, "general". Eu não permito que fale sozinho com Diana. Até onde sei, eu não sou imperial, não sou merda nenhuma que lhe deva obediência.
Por fim, se Diana não entrasse Minami a empurraria para trás e ficaria em sua frente - entre ela e Joshua.
- Chame o Imperador, chame quem quiser. Ou sua conversa será nos nossos termos ou não haverá conversa alguma. Entendeu?

Carlos Henrique Batista
*Lei deu de ombros, em sinal de impotência e com um sorrisinho irônico, dizendo.* Vc ouviu Minami, Joshua. Eu não a irritaria mais se fosse vc. *E voltou a assumir um tom sério, fitando Joshua incisivamente.* Isto tem a ver com a carta que eu enviei, certo? Seja lá o que esteja tentando fazer, Joshua, seria melhor que fosse sincero. Eu sempre agi com sinceridade com vc. É o mínimo que exijo em troca.
Diana:
*Pela primeira vez ela perdeu a calma. Ao fazer isso um pequeno pulso, um deslocamento capaz de empurrar objetos soltos e e desavisados, emanou a partir dela.* PORQUE VOCÊS ESTÃO BRIGANDO POR MINHA CAUSA??????? *Algumas lágrimas escorreram dos olhos dela, e foram limpas rapidamente.* PORQUE SEMPRE BRIGAM ONDE ESTOU? PAI, MÃE, TIA RAVEN, ARTHUR, TIO GABRIEL! PAREM DE BRIGAR! PAREM!! PAREM!!!!!!!! *Sem que ela notasse mais de 6 espadas surgiram no ar, ao redor dela, girando rapidamente, como numa chamado de defesa instantâneo. Nem ela esperava aquilo, e com o susto abriu as asas, sendo cortada profundamente na asa direita. O sangue jorrou para todo o lado, e ela caiu de joelhos, trazendo a asa machucada até a frente do corpo. Estava ofegante, mas não emitiu som algum. O sangue logo tingiu sua armadura e o solo. Ela falou, chorosa.* Parem... por favor... *As espadas não sumiram, girando depressa, perigosamente ao redor dela...* Maldito o dia que nasci... maldito...
Joshua:
- Sim Lei, agiu... agiu seguindo cegamente Voltaire. - Disse tom curto e grosso era um cutucão forte o suficiente tanto para o comandante como para Minami. - E por não ser um nada, senhora Tomoe, acabou de oficializar que não tens direito sobre essa decisão minha como General e superior de Lady Diana. Que seja tua carta, que seja a diplomacia que busco com Valkyrion, com Stormhigh, que seja qualquer coisa, eu busco informações. Tudo tem sua hora. - Desviou o olhar que tinha dado a Lei e Minami, se voltando para Diana e seu surto.
Sua primeira reação foi se proteger. Admirava-se com a capacidade da garota... Seus olhos se arregalaram de leve, mas precisava agir rapido, ela estava ferida. Recompo-se de imediato e de forma ritualística, tirou suas manoplas e as jogou de lado. Soltou algumas palavras divinas, suas mãos reluziram em cores esverdeadas e amareladas. Após se aproximar da garota, suas mãos tocaram a asa machucada.
- Eu sou um clérigo... e um lorde da tempestade... minha ira só cairá para aqueles que merecem minha fúria. - A luz passou das mãos para o machucado gentilmente. - Sua mãe controlava o elemento do trovão... e por várias vezes ficou frustrada por não conseguir me machucar. Esse foi o primeiro encontro... o segundo, já frustrada, foi mais cômica, afinal tive de segurar ela ou ela iria se machucar muito quando já estava bem machucada. E agora essa mesma divindade, lhe passo... uma cura. - A asa foi rapidamente regenerada após o toque. - Eu vi seu avô... ou seria avô? Enfim, o vi fundar o Império. Sua força era assustadora... mas por muitas vezes ele soube usar com sabedoria. Eu era jovem... sabia pouco do mundo, mas presenciei. Zenon Anchev Slade cortando qualquer relação com Sarevok e fundando os imperiais que não passavam de um grupo menor que 10 pessoas. E desde então, até chegar a seu pai, muitas mudanças ocorream. Queria muito compartilhar o que sei contigo, Lady Diana. - Se afastou dela.

Diana:
, fato que tornou os Cavaleiros Imperiais mais conhecidos do povo. Sem a necessidade real de um grupo de criaturas poderosas para manter os reinos a salvo, pouco a pouco, o imperador permitiu que o grupo tivesse responsabilidades diferentes, maiores, como a ascensão de Joshua ao posto de General Imperial... A nomeação de Ahmik como Sumo-Sacerdote do Império, o que sempre o colocava em conflito com a Igreja da Sagrada Luz... a vida seguiu e, dez meses depois, Renon finalmente havia resolvido reunir alguns dos cavaleiros Imperiais. Havia solicitado a presença de todos sem dar motivos maiores, o que era uma surpresa considerando a eloquência e o ego conhecidos do Imperador. Dez meses depois, os Cavaleiros Imperiais, ou ao menos parte deles, seria convocada.*

Minami:
- Diana NÃO é do exército, infeliz.
Minami já não estava mais tolerando aquela situação em que o que decidia era constantemente contestado tanto pela garota quanto por um pseudo-general. Protegeu-se do surto de Diana e ao vê-la ferida e com Joshua agindo daquela maneira, nã0 houve outra reação que não dobrar de tamanho para aquela sua forma de batalha já bem conhecida por alguns.
Se ele achava que Minami ficaria olhando e esperando que falasse tuuuuuuudo aquilo quieta, estava redondamente enganado. Logo após a cura a garou se colocaria outra vez entre eles, empurrando Joshua para fora dali. E Diana, pouco depois, foi mais "gentilmente" empurrada para dentro. A voz estava um tanto gutural mas ainda compreensível.
- Eu sugiro sinceramente que vá embora, Joshua.


Carlos Henrique Batista
*Lei não se importaria em se machucar e também não se importaria se o surto dela quebrasse coisas na casa ou deixasse tudo ali uma bagunça. Após a cura de Joshua e depois que Minami o afastou, Lei correu até a menina e a abraçou no chão bem fortemente, sussurrando a ela e beijando-lhe a testa.* Está tudo bem, loirinha, calma. Eu estou aqui, já passou, já passou... Não estamos mais brigando, viu? E não foi por sua causa, tá bom? *Lei ergueu a cabeça em direção à Joshua, dizendo.* Tem tantos títulos, Joshua, mas não consegue ser sincero com seu companheiro de equipe. Eu vou me lembrar disto.


Diana:
!!!!! *Assustou-se com a aproximação de Joshua, com a cura, e caiu no chão, sentada, quando Minami a empurrou para trás. Não pela força, apenas porque ela não esperava. Limpou o sangue das mãos e abriu as asas devagar. Pela primeira vez em meses levou a mão a venda e a retirou, revelando olhos de um intenso brilho verde, herança direta de Renon. Estavam marejados, e ela segurava o choro bravamente. Tentou levantar quando foi abraçada por Lei, voltando para o chão. E então chorou.* - Não gosto de brigas, não gosto de lutas, mas tenho que lutar, tia Celestia me disse que quando chegar a hora eu vou ter que lutar com ele, não porque eu quero, mas porque todos os que amo vão morrer se eu não fizer. *Abraçou Lei, falava aquilo de maneira triste.* - E ele vai fazer as pessoas brigarem entre si. Ele faz isso, ele acha engraçado, ele se diverte. Mamãe me ensinou a lutar no escuro, sem ver, Tia Agatha me mostrou como evitar seu olhar, tia Celestia me ensinou a fechar os olhos para ver o mundo de verdade... Papai me disse para manter minha honra, bondade e palavra sempre, para nunca, NUNCA matar... Mas... Mas... Ele vai vir.. E eu vou ter que matar... Não quero.... *se escondeu nos braços de Lei*

Joshua:
- Dei a ela, a liberdade de escolher, vocês a tiraram. Estamos em solo do Império, não possui nenhuma jurisdição, me senti obrigado a usar a força. - Disse olhando para Minami e depois olhou para Lei. - De combate, sim somos companheiros, mas saiba seu lugar, comandante. - reforçou bem este último. - E recordar bem, em nenhum momento me exibí deste título e abusei do poder dele. Entendam, o que faço hoje é para o bem de todos. E tudo a seu tempo...
Mas o que a menina falou, arrancou um suspiro pausado de Joshua, um suspiro de preocupação. Seus punhos cerraram intensamente.
- Lady Diana, se me permite... descanse tuas asas hoje. - Afastou-se de leve um pouco do trio e deixou que seu corpo assumisse a forma draconiana. Sua voz era mais alta por mais que controlasse, e foi motivo para mais pessoas saírem de casa para averiguar o que se passava. - E sssse esssssse dia vem, então eu vou lhe treinar. - Sua pata enorme se aproximou de Lei e de Diana. - Para proteger tudo o que ainda ressssta dosss Anchevv Ssslade... família que eu devo minha ETERNA gratidão! - Apanhou Diana dos braços de Lei e a trouxe perto de seu peitoral. Iria embora se nenhum outro obstáculo fosse colocado.


Minami:
*Contra um dragão… Bom, Minami não teve o que fazer além de observar e deixar partir. Após o fdp ter ido embora, a oriental olhou Lei, ainda puta.*
- Ficou frouxo com a palavra "general", Lei? Não fez nada! Nada!
*E ainda olhou aquela sanguera na sala. Hatsuko limparia no dia seguinte, querendo ou não.*


Carlos Henrique Batista
*Antes que Joshua pudesse partir dali, uma foice voou na direção dele e sua lâmina adentrou seu braço escamoso, fazendo ele soltar Diana. Lei já estava no lado de fora e fitou Joshua, enquanto fazia um sinal para que Minami levasse Diana para dentro.* Tire as suas mãos da minha filha, Joshua.


Diana:
*Foi segurada sem resistencia, estava confusa e abalada... se o resultado da ação resultou numa queda, só na próximo episódio.*

Joshua:
Para que Diana não caísse, a sua outra pata a segurou.
- PÉSSSSSSIMA idéia, Lei Keylosssshhhh. Ssse não fosssse por Diana que deseja evitar brigassssss, sssscertamente hoje eu teria uma chansssce de revidar o que fez comigo quando esssstive com ossss Jussticeiross Ssagradosss. A única diferensssça é que os papéisss são oposssttoossss!!!
As nuvens agora eram mais que aliadas de Joshua. Os ventos que as traziam se intensificavam mais. Os ventos agora auxiliavam o lorde da tempestade. Nessa altura, as várias correntes de vento já faziam com que Joshua não precisasse mais saltar para voar. Um lorde da tempestade poderia simplesmente ‘andar’ com o vento. Lei foi ignorado naquele instante, sendo que haviam motivos e oportunidades para o general contra-atacar naquele instante.
- E O FATO DE ME ATACAR HOJE SEM PENSSSSAR... SSSSÓ PROVOU QUE NÃO LIGA EM FERIR LADY DIANA.
Foi só dar um olhar de desaprovação a Lei enquanto “montou” os ventos e caminhou pelos céus sem mais demora.

Minami:
*Não tinha cmo lutar contra um dragão, muito menos um que controlava os ventos com tanta facilidade. Se ele pousasse, certamente a história seria diferente… Por ora, no entanto, limitou-se a voltar a sua forma humana.*

Carlos Henrique Batista
Minami, vou tentar fazer Joshua soltar Diana! Pegue-a se ela não conseguir voltar voando, e leve-a para longe daqui! *Gritou Lei, enquanto sua foice voltava para sua mão. Ele fitou Joshua alçando voo e gritou a ele.* JOSHUA STRANFORD! Eu o acuso do crime de rapto de Diana, levando-a contra sua vontade de minha própria casa! FOI VC QUEM COMETEU UM ERRO, DRAGÃO! *Ele estendeu a mão esquerda na direção de Joshua e conjurou uma mão sombria gigante, que projetava-se da mão dele e imitava todos os movimentos de seu conjurador. Com esta mão gigante, Lei tentaria agarrar o pescoço de Joshua e puxá-lo violentamente contra o solo, tentando fazer com que ele soltasse Diana. Caso fosse bem sucedido, ele gritaria à Diana.*
Diana!! Voe e suma daqui com sua mãe!!

Diana:
*Arregalou os olhos, quase paralisada com aquilo. Fora curada com gentileza, e de repente começava uma guerra ao seu redor? Segurou nas garras do dragão.* Eu... eu VOU COM ELE! EU VOU COM O DRAGÃO!!!! *Gritou, a plenos pulmões... era a única forma que via de não ver uma luta ali, por mais que fosse magoar Lei e Minami. Não queria violencia ou guerra, discordava disso, não tinha força para afastar os três, então, só então, achava que sua decisão causasse machucados nos sentimentos, mas não físicos. Preferia assim. Não queria ser motivo de sangue, não denovo.*

Joshua:
A tentativa falha de Lei foi piada para o dragão. A força dos ventos e do dragão somados foi o suficiente para não ser segurado para trás.
- De novo, Lei Keylosh, salva por alguém que te ama. - Bufou - Nos vemosss... em breve. - E como conseguia mover-se com facilidade entre as correntes de ar, se distanciou rapidamente e foi para o quartel diretamente onde estaria cercado de homens que o obedeceriam na certeza. Seus braços, mesmo que um machucado, protegeu Diana, a cobrindo de qualquer atividade externa.

Minami:
*Minami ouviu seu marido e tornou outra vez a sua forma garou, mais forte e ágil para segurar a garota. Corria, buscando ficar mais próxima do dragão. Se algum soldado tentasse impedir, ela reagiria..*

Lei Keylosh:
Minami, ele não vai levar Diana!! Tente nos acompanhar em terra! Eu vou atrás dele! *Lei bateu o cabo da foice no chão com força e concentrou-se momentaneamente. A arma brilhou fortemente e Lei conjurou uma águia gigante. Rapidamente montou na mesma e a criatura alçou voo para seguir Joshua pelos ares da Cidade Imperial. Assim que se aproximou do dragão azul, Lei saltou da águia diretamente para as costas do draconiano, visando enterrar a lâmina da foice em suas costas.* JOSHUA!! NÃO LEVARÁ MINHA FILHA!!

Joshua:
E de novo, não só atraindo os locais, mas também de toda a região que viu a batalha nos céus.
- Tarde... demais Lei. - Por mais que Lei viesse atrás com sua águia voadora, as nuvens cobriram Joshua, e este desapareceu no meio sem deixar rastro.

avatar
Joshua Stranford
Admin
Admin

Mensagens : 345
Data de inscrição : 16/01/2011
Localização : Uris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum